Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä

Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Visto-me com as cores do arco-íris, e desenho-te um beijo no poema.

A Noite


Chamam-lhe Noite...
Poderiam lhe chamar Ennenrdur...
Chamam-lhe noite, porque evoca esse sublime beijo
que rouba à luz...
envolta em mantas de silêncio...
em rasgos de ténues carris de estrelas,
por onde a nau de estrelas esvoaça...
Sim, chamam-lhe noite...
Noite branca da solidão,
redes de brilhos finos, dão à costa deste oceano de pedra, da vida...
Eis que regressa a...noite.

Fernando Neto

Sem comentários:

Seguidores

Creative Commons License Esta obraestá licenciada sob uma Licença Creative Commons.