Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä

Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Visto-me com as cores do arco-íris, e desenho-te um beijo no poema.

*



Solene,
vou ao longo dos poemas
nesta caminhada de Outono.
Nos seus recantos procuro
o sulco de um barco
que rume a sul.
Subo a colina das palavras
pleno de ousadia
e viajo no centro do que sou
num único verso.
Só os versos são uma viagem
a caminho do sul
e das paredes brancas
moldadas pelo sol.

 ©efeneto

4 comentários:

pessoa nenhuma disse...

já há muito tempo nao te visitava e é sempre um prazer ler-te, artista. é um recordar de tempos...

Maria Valadas disse...

Ouvir o "grito do poeta" é sentir a sua essência descrita.

É um grande prazer regressar para o ler.

Deleito- me com o poema.

Com amizade,

Maria Valadas

lua prateada disse...

Há quanto tempo amigo...
Hoje vim aqui especialmente para neste espaço que é o nosso te poder desejar as maiores felicidades...que tua vida seja um remar incessante em direção ao Sul...Beijo de PARABÈNS...

SOL

Lucinha disse...

Ola Grito do Poeta!
Acredito que sou eu quem vai gritar..rsrsr onde vc anda meu amigo?
Não some dê noticias, é muito bom te-lo conosco e ler suas poesias.
Beijo em seu coração...

Seguidores

Creative Commons License Esta obraestá licenciada sob uma Licença Creative Commons.