Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä

Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Visto-me com as cores do arco-íris, e desenho-te um beijo no poema.



Tenho fome de palavras plenas
exactas como um sorriso
concretas, penetrantes.

Porque não basta respirar
para assumir o tempo.

Preciso de escrever para sentira ondulação do dia
e o aroma das lonjuras.

Escrever para sentir
a forma ondulada de um ombro,
os lábios ávidos de um beijo.

Preciso de palavras exactas
mesmo cruéis como um crime
para sentir a vida
e o seu sentido inexorável,
para cavalgar no tempo
corcel lustroso e violento.

4 comentários:

Chellot disse...

Através das palavras nos expressamos sejam em sentimentos, ações ou vontades. Escrever é necessário tanto quanto o ar que respiramos. Mesmo que nunca uses as mãos para escrever ainda podes usar a alma e o coração.
Abraços amigo. Beijos doces.

lua prateada disse...

Algures no tempo conheci um grande poeta...hoje ainda existe...amanhã existirá e...para quem o conhece sempre existirá...
"Porque não basta respirar
para assumir o tempo"
Parabéns amigo...!
Beijinho com carinho

SOL

Rosa Maria disse...

"Tenho fome de palavras plenas"
Pois de facto, as palavras parecem nunca dizer o bastante..:)
Gostei desta "fome"

Alice Matos disse...

Também tenho fome de palavras...
que bom passar por aqui...

fica bem...

Seguidores

Creative Commons License Esta obraestá licenciada sob uma Licença Creative Commons.