Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä

Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Visto-me com as cores do arco-íris, e desenho-te um beijo no poema.

Na praia deserta

daquele fim de Verão

só os pássaros

e uma figura solitária

rompiam o nevoeiro matinal.


Uma leve brisa

impregnava o seu rosto

anunciando a beleza da lua.


As suas pegadas na areia

iam desaparecendo

por ondas suaves

que o mar devolvia.


Com elas a certeza

do eterno recomeço.


Tão sem memória.

9 comentários:

Paula Raposo disse...

É isso...tão sem memória o eterno recomeço. Porque ser Poeta é ser além...beijos. Adorei ler-te.

GMV disse...

Este é um dos 'Gritos' mais bonitos que li por aqui...


Beijo de boa noite, querido amigo

Olhos de mel disse...

Oie lindo, um grande amor, nunca fecha a porta, mas deixa-a entreaberta. Um poema lindo, intensamente bonito e inversamente triste!
Bom fim de semana!
Beijos

MEU DOCE AMOR disse...

Lindíssimo!Tudo!Adorei mesmo:)

Beijinho doce e bom fim de semana Querido Efeneto

Lucinha disse...

Meu anjo.. sentindo falta de vc... estou com um blog que eu mesma fiz.. tentado aprender mas gostaria muito de sua opinião se puder passar por lá agradeço.. beijinhosssssss

Olhos de mel disse...

Querido amigo, lembranças que doem, mas que servem de alento...
Bom fim de semana! Beijos

fotógrafa disse...

A serenidade e a alegria
são a luz e o sol
iluminando a vida
fazendo prosperar o que tocam.

Bom fds

abraço

gotadevidro disse...

O recomeço sempre existe...

Apanha a alma e o sonho e encerra-os em ti.

Olha ao fundo...Surge o recomeço

beijinho

Sr. Picuinhas disse...

Belo espaço. Beleza e palavras. Parabéns.

Seguidores

Creative Commons License Esta obraestá licenciada sob uma Licença Creative Commons.