Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä

Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Visto-me com as cores do arco-íris, e desenho-te um beijo no poema.

Sumo

Inesperadas nuvens disformes
trazidas pela ventania
povoam o pesadelo
de um alvorecer inexplicável.

Basta uma palavra
inesperadamente
para que o pânico assome
num frio repentino.

No sulco da manhã
as bocas incrédulas
pedem um sumo que saiba a uva
a sol e a azul
sem seiva seca indecifrável.

Na sombra que dilacera
há salpicos de maresia
que dissipam o negrume
e acordam a lucidez.

Nas bocas ficam as palavras
que ousam esperar.

No dia permanece o deserto da inutilidade
das nuvens disformes.

*
© efeneto
*

19 comentários:

Eärwen Tulcakelumë disse...

Na sombra que dilacera
há salpicos de maresia
que dissipam o negrume
e acordam a lucidez.

E eis que surge em vôo a esperança que te acende o ser
Vem, toma as minhas asas e alça vôo deste estranho nevoeiro
Vem, fica aqui neste espaço que te cedo em meu mundo
Vem...a luz que te entrego há de dissipar as nuvens disformes

Pérolas incandescentes de amor amigo, retirada da nascente do rio de lava do meu mundo.

Carinhosamente,

Eärwen

lua prateada disse...

Todos os deserto são inuteis migo...ou talvez não...
Passei te desejando um fim de semana leve, suave, lindo, cheio de amor...desfruta dele!...
Beijinho prateado com carinho
SOL

MEU DOCE AMOR disse...

Li.Triste.

Deixo FLORES e PERFUME...

E

Beijinhos

A música ,a letra,a voz,o sentimento...

GMV disse...

"Nas bocas ficam as palavras
que ousam esperar"
Felizmente, quando chegamos aqui, as palavras nunca esperam...vêm sempre, diferentes, poderosas, verdadeiras, belas.
É sempre uma boa experiência lê-las.

Toda Poesia disse...

Quando venho aqui, venho preparada pra receber beleza e encanto, ainda que triste. Se não venho, sinto falta.Será isso que chamam de vício? Se for, vício é coisa boa, que inunda a alma e faz renascer a chama da vontade de poetar... de novo... e sempre...
Abraços.

espelhodesombras disse...

Amigo Efeneto no frio deserto permanece a ainutilidade das nuvens disformes, onde sombras dilaceradas dissipam o negrume.
Grande poeta.
Um ótimo domingo.
Abraços.
João Costa Filho

Olhos de mel disse...

Oie meu amigo lindo! Obrigada pelo apoio e carinho, viu? Estou tentando um retorno. Lento, mas a saudade de vocês me tem feito voltar a casa.
Poxa doce poeta, como entendo cada palavra desse seu lindo e triste poema.
Bom domingo e uma semana maravilhosa!
Beijos

beanabela disse...

Olá Amigo!

gosto de passar por aqui, e ler as tuas palavras, pois nelas encontro um pouco do meus sentido!

beijos

Sunshine disse...

Além das palavras, sempre belas, sempre com uma intensidade indiscritivel... essa música é uma das minhas mais lindas recordações de um passado ... há mt passado ...

Patxi é uma voz eterna e este teu espaço torna-se um lugar de paz ...

e perdi a palavras .... beijosssss

Alice Matos disse...

Está lindo o teu poema... mais um... e sempre lindo!

Um beijo para ti...

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Amigo, mais um lindíssimo poema...
Beleza sem fim!!!
Tu através da escrita entras no meu coração... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

GarçaReal disse...

Nuvens que dilaceram o alvorecer
Nuvens que encobrem o azul brilhnante
Nuvens que toldam o amanhecer
Nuvens que que encobrem o destino de um caminhante
...

Bjgrande daqui e Boa semana

Secreta disse...

O inesperado provoca muitas vezes reacções em nós nunca esperadas.
Beijito.

Perla disse...

Quantas vezes as nuvens povoam o nosso dia. Um dia que se esperava de sol e afinal se revela numa inesperada nuvem negra!
Mas ficará a esperança de um outro amanhecer sem nuvens...

Bjs

Thiago disse...

Todas as nuvens têm uma forma...observa-as bem...mas cuidado essas formas mudam a qualquer instante, mas encerram grandes segredos...

Convido-te a conhecer a história de A. :-)

Maria Clarinda disse...

Na sombra que dilacera
há salpicos de maresia
que dissipam o negrume
e acordam a lucidez.


Nas bocas ficam as palavras
que ousam esperar.


Ouvir este teu poema ao som desta música que tanto me marcou....e marca ainda!
Ai meu Duende que vieste remexer minhas memórias....
Jinhos mil

Bandys disse...

Nas bocas ficam as palavras
que ousam esperar.
No dia permanece o deserto da inutilidade das nuvens disformes.
Nossa é muito lindo.
As bocas de quem ama espera, afaga...beijam.
Beijos

carla granja disse...

lindo poema que entra inesperadamente dentro na nossa alma,do nosso sentir.
passa por cá
bjo
carla granja

Carla disse...

"as palavras que ousam esperar"... quando amordaçadas as palavras magoam
beijos

Seguidores

Creative Commons License Esta obraestá licenciada sob uma Licença Creative Commons.